Seja bem-vindo ao novo Fazer um Homem Correr Atrás!

Encare um abismo, mas não pule para dentro dele

RikaVirusAula4


Já reparou quantas e mais quantas vezes você já esteve diante de um abismo sem nem se dar conta que estava prestes a pular num relacionamento que faria sua vida virar um espaguete?

Costumo comparar certos tipos de relacionamento a “buracos negros”.

Você sabe o que é um buraco negro?

São áreas que existem no espaço onde o que chamamos de gravidade é tão forte que nem mesmo a “luz” consegue escapulir. Em outras palavras, qualquer coisa que caia nesses “espaços” se desintegra, explode, vira poeira cósmica.

E porque chamo de “relacionamento buraco negro”?

Porque são invisíveis! Não emitem luz alguma! Ora, se não emitem luz nenhuma, como fazemos para identificar um e não correr o risco de ser sugado para dentro dele?

Como você faz para saber se esse relacionamento em que você se encontra é um deles ou não?

Identificando sua presença pela OBSERVAÇÃO de seus efeitos nas estrelas ao seu redor. Ou seja, observando se as estrelas estão sorrindo felizes, ou estão sendo tragadas aos berros com rivotril na mão direita para dentro de algo que não se vê, mas apenas se sente! É como se você estivesse num quarto totalmente escuro tendo que tatear para encontrar um interruptor!

Mas será que um buraco negro é tão negro quanto parece?

Será que se ficarmos alguns minutos no escuro não conseguimos fazer com que nossa visão se adapte ao ambiente, fazendo com que enxerguemos ao nosso redor, nos dando possiblidade de ir até a luz?

Será mesmo que ao olhar para esse relacionamento, você não consegue identificar se está à beira de um abismo ou não? Será que você já não está hoje dentro desse buraco negro? Perdida? Sem saber como agir? Como pedir ajuda? Onde encontrar ajuda? Onde encontrar o interruptor? Onde está a luz?

Nós precisamos aprender a reconhecer um.

Mas como? Olhando os acontecimentos das estrelas ao redor da galáxia! Em outras palavras, olhando como está a sua vida! Olhando como você se sente! Você sorri ou chora? Você dança sozinha ou cerra os dentes pensando naquela maldita curtida naquela foto daquela lambisgóia? Você está feliz, fazendo planos para a jantinha de hoje à noite ou preocupada se ele vai sair pra balada, encher a cara de cachaça e pegar qualquer coisa que se mexa?

Se o seu coração palpita descompassadamente e não é por amor, mas por nervoso, se você tem crises de choro, não consegue se concentrar em mais nada, se sente cansada e exaurida:

Corra! Feito Bolt! Mesmo que você tenha 1,50! Nade de braçada 100 metros rasos como Phelps! Mas saia daí! Se está doendo, corra! Se está apertando e oprimindo o peito, corra! Se tem lágrima rolando solta, corra! Não pare! Não olhe para trás! Apenas bata em retirada.

Encare o abismo, mas não pule para dentro dele.

Sinta os efeitos de um buraco negro, mas não se aproxime.

Talvez você não o veja assim, porque a escuridão presente seja tão intensa que a cegue de ver o que de fato acontece, mas então, ao menos dê um crédito ao que você está sentindo agora e então…corra daí.

Eu não vou deixar você ser aniquilada por um desses.

Ainda não se inscreveu para começar a receber meus e-mails? Então, cadastre-se logo abaixo.

 
 

Siga-me no twitter: @menruntoyou

SalvandoseuRelacionamentoComprarProsperidadeComprar7 MateaFadaGeleiaComprar

Posts relacionados